Benefício das Plantas Medicinais

O sistema imunológico é composto por um complexo de células e moléculas espalhadas por todo organismo. Ele tem a função de reconhecer de forma específica estruturas de moléculas estranhas ou antígenos, e após o reconhecimento, desencadear uma resposta efetora causando a destruição ou inativação dessas estruturas estranhas.

Devido a essas funcionalidades, o sistema imune é considerado eficaz na defesa contra microrganismos e também no controle das modificações celulares que originam células malignas. Esta função de defesa é primordial para controlar o desenvolvimento de infecções e tumores.

O consumo de plantas medicinais é uma tradição mundial e é tão antigo quanto a história da humanidade. Plantas medicinais, de acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), são todos os vegetais, ou parte deles, que apresentam ação terapêutica. Algumas dessas propriedades medicinais já foram comprovadas cientificamente, como por exemplo, auxiliar o organismo a manter ou ajustar funções fisiológicas, restabelecer a imunidade, estimular a desintoxicação e o rejuvenescimento, combater dores, diminuir o estresse, além das propriedades antimicrobiana e anti-inflamatória. Porém, ainda existem muitas plantas utilizadas popularmente que AINDA NÃO TÊM seu efeito terapêutico comprovado cientificamente. Assim, nas últimas décadas a Organização Mundial de Saúde (OMS) vem desenvolvendo pesquisas que visam avaliar, testar e comprovar os efeitos benéficos da utilização dessas plantas.

GUACO

O Guaco é também muito conhecido no Brasil em função de suas propriedades medicinais. Outro grande benefício do Guaco é o auxílio que fornece para quem deseja perder peso, já que suas propriedades sudoríferas aumentam a eliminação de líquidos do corpo, eliminando toxinas, bactérias e o líquido extra responsável por provocar inchaço. As folhas aliviam os sintomas de reumatismo e varizes.

Receita 1 – Chá de Guaco

Ingredientes: 8 folhas de guaco 1 colher de sopa de mel 500 ml de água fervente.

Modo de preparo: Para preparar este chá, basta adicionar as folhas de guaco à água fervente, tampar e deixar repousar durante aproximadamente 15 minutos. Passado esse tempo, deve coar o chá e adicionar a colher de mel. É recomendado beber 3 a 4 colheres deste chá por dia, até que sejam observadas.

2 – Xarope contra tosse

Ingredientes: 250 gramas de açúcar mascavo ;  1 litro de água 1 xícara (chá) de folhas frescas de guaco.

Modo de preparo: Derreta o açúcar e acrescente a água e as folhas de guaco. Ferva até formar uma calda.

ALHO

Contém vitaminas A, C, B6 e B1 e os minerais selênio, manganês, ferro, magnésio, fósforo, cobre e potássio. Estimula o ganho de massa magra, fortalece o sistema imunológico, combate resfriados, tem ação desintoxicante e ajuda a controlar a glicose no sangue.

Ingredientes: 2 dentes de alho;250 ml de água

Modo de preparo: Descasque e amasse muito bem os dentes de alho; Adicione a água morna e deixe descansar por cinco minutos; Sirva sem adoçar.

EQUINÁCEA

A equinácea é uma planta medicinal, também conhecida como Flor-de-cone, Púrpura ou Rudbéquia, muito utilizada como remédio caseiro no tratamento de gripes e resfriados, aliviando a coriza e a tosse, principalmente por causa de sua propriedade anti-inflamatória e antialérgica.

  • Anti-inflamatória;
  • Antioxidante;
  • Antimicrobiana;
  • Desintoxicante;
  • Laxativa;
  • Imunoestimulante; 
  • Antialérgica.

O chá de equinácea é uma ótima solução para tomar em casos de gripe e resfriados, pois alivia os sintomas como tosse e coriza.

Ingredientes: 1 colher de chá de raiz ou folhas de equinácea; 1 xícara de água fervente.

Modo de preparo:Colocar 1 colher de chá da raiz ou folhas da Equinácea em uma xícara de água fervente. Deixar repousar por 15 minutos, coar e beber 2 vezes por dia. 

OBS: Apesar de apresentar muitos benefícios, a equinácea está contraindicada no caso de alergia a plantas da família Asteraceae, assim como para pacientes com HIV, tuberculose, colagenose e esclerose múltipla.

Além disso, os efeitos adversos da equinácea podem ser febre passageira, náusea, vômito e gosto desagradável na boca após o uso. Podem ainda ocorrer reações alérgicas diversas, como coceira e agravamento de crises asmáticas.

Nutricionista Adriana Silva

Fontes:

Universidade Federal de Santa Catarina Centro de ciências da Educação Colégio de Aplicação, 2016.

PLANTAS MEDICINAIS E SEUS POSSÍVEIS BENEFÍCIOS NO ENFRENTAMENTO DA COVID-19, Agosto/2020.