Série Dicas Nutrição: Não fique carente de nutrientes IX

30
Mai
Série Dicas Nutrição: Não fique carente de nutrientes IX

Série Dicas Nutrição: Não fique carente de nutrientes IX

Começaremos agora a tratar das vitaminas lipossolúveis. Conheça um pouco mais sobre estes tipos de vitaminas acompanhando a série de dicas!

Vitamina A

Estudos mais recentes vêm mostrando que a vitamina A age como antioxidante (combate os radicais livres que aceleram o envelhecimento e estão associados a algumas doenças). Porém, recomenda-se cautela no uso de vitamina A, uma vez que, em excesso, ela também é prejudicial ao organismo.

A vitamina A é também denominada retinol. A avitaminose, que está relacionada com a carência de vitamina A, é a xeroftalmia, nome genérico dado aos diversos sinais e sintomas oculares da hipovitaminose A. A forma clínica mais precoce da xeroftalmia é a cegueira noturna, em que a criança não consegue boa adaptação visual em ambientes pouco iluminados. Manifestações mais acentuadas da xeroftalmia são a mancha de Bitot, normalmente localizada na parte exposta da conjuntiva e a xerose. Nos estágios mais avançados, a córnea também está afetada, constituindo a xerose corneal, caracterizada pela perda do brilho, assumindo aspecto granular e ulceração da córnea.

A ulceração progressiva pode levar à necrose e destruição do globo ocular, provocando a cegueira irreversível, o que é chamado de ceratomalácia. Outras complicações ligadas à deficiência de vitamina A incluem visão deficiente à noite, sensibilidade à luz (fotofobia), redução do olfato e do paladar, ressecamento e infecção na pele e nas mucosas (xerodermia), stress, espessamento da córnea, lesões na pele e câncer nos olhos.

Infecções frequentes podem indicar carência, pois a falta de vitamina A reduz a capacidade do organismo de se defender das doenças. Por ter função antioxidante, ela se fixa aos radicais livres que se originam da oxidação de diversos elementos. Esses radicais livres teriam um efeito nocivo para as células e são tidos como causadores de arteriosclerose, catarata, tumores, doenças da pele e doenças reumáticas.

Causas da deficiência incluem a falta de amamentação ou desmame precoce, consumo insuficiente de alimentos ricos em vitamina A, consumo insuficiente de alimentos que contêm gordura, pois, o organismo humano necessita de uma quantidade de gordura proveniente dos alimentos para manter diversas funções essenciais ao seu bom funcionamento.

Onde encontrar

São alimentos ricos em vitamina A os de origem animal: fígado, manteiga, leite, gema de ovos, sardinha, queijos gordurosos, óleo de fígado de peixe. Existem diversos vegetais que possuem carotenóides (especialmente betacaroteno) que são convertidos em vitamina A pelo organismo. São, além dos vegetais folhosos verde-escuros e vegetais amarelo-alaranjados, frutas e legumes com essas colorações: cenoura, folha de brócolis, batata-doce, couve, espinafre, abóbora, tomate e manga. O betacarotenos (pró-vitamina A) é lipossolúvel. Portanto, a absorção de vitamina A é melhorada se esses alimentos forem ingeridos juntamente com gorduras (como óleos vegetais).

Na próxima matéria, vamos falar sobre a vitamina D. Não deixe de ler!

Adriana Lopes Peixoto - Coordenadora de Marketing e Vendas da A.S.Sistemas

Renata Gomide - Consultora Nutricional do Dietpro

Compartilhe este post

(31)3892 7700
Rua Verano Faria, 53 Centro
Viçosa MG - 36570000
Close