Série Dicas Nutrição: Não fique carente de nutrientes II

30
Mai
Série Dicas Nutrição: Não fique carente de nutrientes II

Série Dicas Nutrição: Não fique carente de nutrientes II

Nessa segunda fase da nossa série de dicas, vamos falar sobre a vitamina B2. Confira!

Vitamina B2

Também uma vitamina hidrossolúvel, denominada riboflavina e, tal como as outras de seu grupo, é absorvida no intestino e excretada na urina quando ingerida em grandes quantidades. O organismo humano é incapaz de sintetizar riboflavina. Sendo assim, é necessário incluir essa vitamina na dieta. Ela é importante para a conservação dos tecidos e fisiologia ocular.

Existe maior propensão a uma deficiência de riboflavina em dietas pobres em produtos animais. Também encontramos essa deficiência associada a determinadas doenças crônicas, como a diabetes. A avitaminose associada à deficiência de riboflavina é a arriboflavinose, que pode ser resultada por uma dieta pobre de B2 ou por uma má absorção intestinal desta vitamina, incapacidade de metabolização ou excreção exagerada na urina.

Os sintomas de arriboflavinose são dermatite seborreica, formação de fissuras e vermelhidão nos lábios, estomatite e inflamação do revestimento da boca e língua, úlceras bucais, infecções na garganta e neuropatia. Também pode causar dissecação e descamação na pele e anemia.

Pode ocorrer vermelhidão, lacrimação e coceira no globo ocular, além de sensibilidade à luz. A deficiência em riboflavina está associada à síndrome oral-ocular-genital, em que a estomatite angular, a fotofobia e a dermatite escrotal são sintomas clássicos.

Alimentos como leite, produtos lácteos, couves e vegetais folhosos verdes (como brócolis, repolho e agrião), carne (especialmente vísceras), cereais em grão, arroz, lentilha, aveia, cevada, trigo, levedo de cerveja, ovos, semente de girassol e ervilhas são fontes de riboflavina, embora ela seja destruída pela exposição à luz. No leite, a riboflavina encontra-se na forma livre (não ligada a proteínas). Nos países em vias de desenvolvimento, o consumo de vegetais verdes constitui a principal fonte de riboflavina, enquanto nos países desenvolvidos, são os produtos lácteos a fonte primária desta vitamina.

Na próxima semana, vamos falar sobre a vitamina B3. Não perca!

Adriana Lopes Peixoto - Coordenadora de Marketing e Vendas da A.S.Sistemas

Renata Gomide - Consultora Nutricional do Dietpro

Compartilhe este post

(31)3892 7700
Rua Verano Faria, 53 Centro
Viçosa MG - 36570000
Close