Chocolate: doce veneno

30
Mai
Chocolate: doce veneno

Chocolate: doce veneno

Continuando a série de artigos sobre alguns mitos da nutrição, falaremos hoje sobre o chocolate.

“A diferença entre um remédio e um veneno está só na dosagem”. Esse é um ditado muito comum e que pode ser utilizado quando o assunto é chocolate.

Foi inicialmente utilizado como bebida, um tanto amarga, feita da mistura do cacau torrado com água. Onde em meados do século XVIII, os franceses desenvolveram o chocolate com uma consistência sólida, no entanto mais pastosa do que a atual. E foi a partir de 1910 que finalmente a barra de chocolate começou a ser comercializada.

Nutricionalmente falando sabe-se que os seus benefícios do chocolate estão diretamente relacionados a sua composição química, quanto menor a concentração de açúcares, gorduras e maior a quantidade de cacau maiores serão as vantagens do consumo. Melhor dizendo, o único chocolate que apresenta todos os benefícios apontados pelas novas pesquisas é o chocolate meio amargo ou amargo. Isto porque, as propriedades estão no cacau, fruto rico em magnésio, ferro, cromo, manganês, zinco, cobre, ômega 3, feniletilamina (PEA) e serotonina. O cacau contém a maior concentração de antioxidantes que qualquer outro alimento natural do planeta terra. Estes incluem polifenóis antioxidantes, catequinas, e epicatequinas. Em peso, cacau tem mais antioxidantes do que o vinho tinto, mirtilos, açaí, romã, goji e combinados.

Comparativo de flavonoides antioxidantes* Medida pelo índice ORAC (Oxigen Radical Absorbance Capacity).

Nibs de cacau cru................................................621

Chocolate amargo......................131

Chocolate ao leite...............67

Ameixa seca.....................58

Uva seca.......................28

Repolho......................18

Espinafre...................13

Brócolis.....................8,9

Laranja..................7,5

Fonte: U.S Department of Agriculture e The Journal of the American Chemical Society

Portanto, é importante que tenhamos um cuidado maior com chocolate a base de leite, pois pode conter grande quantidade de ácidos graxos mirístico e láurico, conhecidamente hipercolesterolêmicos, ou seja, interferem na concentração de colesterol sanguíneo. Nos chocolates que contém mais cacau e menos leite como é o caso do amargo e meio amargo, esta relação é reduzida. Todavia, o seu consumo não está totalmente liberado, mesmo apresentando benefícios este deve ser realizado com cautela, levando em consideração o estado nutricional dos indivíduos.

Adriana Lopes Peixoto – Consultora Nutricional da A.S.Sistemas

Marceli Almeida Mendonça – Estagiária de Nutrição da A.S. Sistemas

Fonte da Imagem: <www.corbisimages.com>

Compartilhe este post

(31)3892 7700
vendas@dietpro.com.br
Rua Verano Faria, 53 Centro
Viçosa MG - 36570000
Close